Dous livros editados pola Associaçom Galega da Língua permitem um melhor e maior conhecimento de Jenaro Marinhas del Valle

Um deles reúne a sua produçom na Agália e nos congressos da AGAL e outro vários estudos da sua trajectória, com participaçom de especialistas das três universidades galegas

Segunda, 06 Julho 2009 00:00

Atençom, abrirá numha nova janela. PDFVersom para impressomEnviar por E-mail
Engadir a del.icio.us Compartilhar no Twitter Compartilhar no Chuza Compartilhar no Facebook Compartilhar no DoMelhor

Estas obras permitirám conhecer melhor Marinhas del Valle

PGL - A Associaçom Galega da Língua (AGAL) publicou nas últimas semanas duas interessantes novidades editoriais que permitem um melhor conhecimento de Jenaro Marinhas del Valle (A Corunha, 1908-1999), um vulto da cultura, a literatura, a política, e também do mundo do empresariado galego no século XX, que foi umha das primeiras  pessoas reconhecidas como Membro de Honra da AGAL.

No livro Presença de Jenaro Marinhas na AGAL reunem-se, por um lado, a entrevista realizada por Henrique Rabunhal e José Maria Monterroso, publicada no número 18 da Agália, no ano 1989, que se tem constituído num importante referente para o estudo deste vulto, em especial para o da sua produçom literária e relacionamento com a cidade da Corunha. Segue umha bibliografia, realizada por Joel R. Gômez, que recolhe a produçom activa de Marinhas e muitos trabalhos realizados sobre ela.

Na continuaçom oferecem-se reunidos os estudos de Jenaro Marinhas publicados na Agália, um total de 8, 6 deles difundidos entre os números 1 e 25, juntamente com mais dois procedentes das Actas dos segundo e terceiro congressos da AGAL. Incuem-se depois mais 8 textos de Marinhas para teatro, igualmente publicados na revista da AGAL. E finalmente recolhem-se mais 9 trabalhos, 8 deles de diferentes intervençons suas e mais um poema, que também estám em vários números da revista.

Reunem-se destarte em 233 páginas trabalhos dispersos, o que facilita a sua consulta, e conforma-se um volume certamente de interesse para conhecer o contacto de Marinhas com a AGAL.

Em Junho o mercado galego recebeu as Actas do Congresso Jenaro Marinhas del Valle, que reúne trabalhos apresentados na Corunha os dias 26, 27 e 28 de Fevereiro deste ano, no congresso organizado pola AGAL.

Após umha “Apresentaçom” (pp. 9-10) de Alexandre Banhos, na altura presidente da AGAL, que enquadra a Marinhas na “tradiçom galeguista, progressista e liberal que existiu (e ainda existe) na cidade da Corunha”, incluem 9 trabalhos e dous apêndices.

 

Capa do livro Presença de Jenaro Marinhas na AGAL
[prima aqui para ampliar a imagem]

 

No primeiro contributo, intitulado “O meu tio” (pp. 11-30), Pablo González Marinhas revela diversos aspectos inéditos e algumhas poesias de Jenaro Marinhas, além de oferecer informaçons muito valiosas para um melhor conhecimento da pessoa. Joel R. Gômez escreve (pp. 31-92) “Aproximaçom a Jenaro Marinhas del Valle (1908-1999), o homem de empresa e das finanças que acreditou nas Letras Galegas”, em que se dam dados pouco difundidos a respeito desta faceta de Marinhas no exercício da sua profissom como homem de empresa, e também se inclui umha bibliografia da sua produçom e de muitos estudos a ela dedicados.

Henrique Rabuñal (pp. 93-102) escreve “Marinhas del Valle leal e erguido”, em que revisita muitos instantes do relacionamento pessoal entre eles e os estudos que lhe tem dedicado ao longo de muitos anos; José-Mª  Monterroso Devesa, em “Jenaro Marinhas del Valle: Modéstia, elegância, coerência, lealdade...” (pp. 103-122), também refere o relacionamento entre ambos, que partilhárom iniciativas como a Associaçom Cultural O Facho ou a AGAL, e acrescenta contributos valiosos para um melhor conhecimento da cidade da Corunha e da sua história.

António Gil Hernandez (pp. 123-124) contribui com “As minhas conversas com Dom Jenaro. Breves reflexões”, um breve esquema-resumo dos diálogos que tivérom, focando principalmente os temas do nacionalismo galego e a língua da Galiza; Aurora Marco (pp. 125-144), em “Marinhas del Valle poeta. Vida, sonho, realidade”, fixa o córpus da produçom de poesia publicada por Marinhas e faz um estudo especializado da mesma.

Mª Manuela Ribeira Cascudo (pp. 145-178), em “Magia e realismo nos contos de A Vida Escura” estuda este livro de narrativa de Marinhas editado pola AGAL (e reeditado também recentemente); Isaac Alonso Estraviz (pp. 179- 186) em “Jenaro Marinhas del Valle, Um Patriota Exemplar”, conclui que “Jenaro Marinhas del Valle homem bom e generoso, culto, alegre, social, tolerante, apaixonado pola sua pátria e pola sua cultura, respeitoso de todos e amigo leal dos amigos, é um modelo a imitar por todos nós”;.

Cilha Lourenço Módia (pp. 187-196), em “Percursos expressivos do teatro de Jenaro Marinhas” estuda o seu contributo como dramaturgo; e Ernesto Vázquez Souza (pp. 197-324) em “De touros e papéis de Salamanca”, partindo de umha citaçom de Marinhas estuda documentos do Archivo General de la Guerra Civil e do Centro Documental de la Memoria Histórica de Salamanca, e dá vissibilidade a elementos de valor para o estudo do republicanismo galego e a sua repressom, em especial na cidade da Corunha.

Finalmente, um primeiro Apêndice (pp. 325-337) refere “A Corunha Galeguista: Um paseio com Jenaro Marinhas del Valle”; e um segundo (pp. 338-339) a “Brochura repartida com motivo do Congresso em todas as caixas de correios (100.000 exemplares) dos concelhos da Corunha, Oleiros e Culheredo”.

Conforma-se assim um volume em que, por umha parte, contribuem representaçons das três universidades galegas e outras pessoas especializadas no estudo de Marinhas; e recolhem-se nos apêndices materiais de interesse, facilitando e divulgando a sua leitura.

Dous volumes que se convertirám porventura em referentes de relevo para um melhor conhecimento e estudo desse grande vulto da Galiza do século XX que foi, com certeza, Jenaro Marinhas del Valle.

 

Capa das Actas do Congresso Jenaro Marinhas del Valle
[prima aqui para ampliar a imagem]


+ Ligações relacionadas: